quarta-feira, 13 de abril de 2016

Dicas para organizar seu próprio casamento

Se você é uma aventureira que decidiu organizar você própria o seu casamento, esse post é para você! Porém, vale um aviso: não é à toa que existem pessoas especializadas nesse trabalho. Organizar um casamento não é tarefa fácil, exige tempo, trabalho, pesquisa e muita dedicação, pois são muitas coisas envolvidas.

Mas, se ainda assim você está a disposta a isso, seja por economia, seja por vontade de colocar a mão na massa, não se preocupe. Estamos aqui para ajuda-la!
Vamos às dicas?


Especialize-se no assunto
Casamento é uma vez na vida (pelo menos é o que a gente espera quando está casando) e, por isso, você não vai querer que um monte de coisas dê errado para que você possa ficar lembrando o resto da vida sobre como poderia ter sido diferente.

Por isso, não brinque com esse momento. Vale a pena estudar bastante o assunto. Hoje em dia diversos cursos que te ensinam o passo a passo estão disponíveis. O curso “como planejar um casamento”, da Larissa, por exemplo, é uma excelente opção.

Não subestime a experiência de profissionais que já erraram e estão vacinados contra a maior parte dos problemas que podem acontecer em uma celebração como essa.

Planeje cada etapa
Um casamento envolve várias etapas, e geralmente cada uma delas exige um fornecedor diferente. 

Por isso, a primeira coisa a ser feita é escrever os principais fornecedores a serem contratados e começar a solicitar orçamentos para se ter uma ideia do custo.

Para ajuda-las, segue uma lista dos principais serviços a serem contratados:
·       
Cerimônia: igreja/templo ou celebrante
·       Local
·       Comida e bebidas
·       Decoração
·       Recordações (foto e vídeo)
·       Vestido e acessórios para a noiva / Terno para o noivo
·       Convites

Esses são os básicos, que não podem faltar. Porém, lembre-se que existe um mercado gigantesco com diversos serviços que costumam encantar os noivos. Por isso, é preciso orçar os principais serviços e deixar uma folguinha no orçamento para alguns supérfluos que vocês façam questão. Veja aqui outras dicas para economia no casamento.

Personalize sua celebração
Uma das grandes vantagens de se planejar o próprio casamento é poder deixa-lo com a sua cara. Por isso, aproveite essa oportunidade para personaliza-lo o máximo possível. Assim, seus convidados se sentirão honrados por participar de algo tão íntimo e importante para o casal.

Uma ideia bem legal é apostar em discursos de casamento. Noivos, pais e padrinhos podem enriquecer a cerimônia ou a recepção dizendo palavras emocionantes sobre os noivos e a importância daquele momento. Se você não tem muita criatividade para criar seus próprios discursos, veja modelos de discurso de casamento aqui.

Conte com a ajuda de familiares e padrinhos
Antigamente, padrinhos eram convidados aos montes, e nem sempre eram pessoas íntimas e próximas do casal. Além disso, essas pessoas se limitavam a comparecer na igreja na hora marcada.

Hoje em dia isso ainda é uma realidade, mas vem mudando muito. Cada vez mais os convites para padrinhos são feitos para pessoas realmente especiais, as quais colocam a mão na massa junto com os noivos.


Por isso, convide para padrinhos pessoas que valem a pena, e que estarão sempre disponíveis para ajudá-la no que for necessário!

sexta-feira, 8 de abril de 2016

Vale a pena legalizar a maconha no brasil?

Muito se fala sobre os efeitos negativos da maconha no corpo humano. O fato é que a maioria não tem embasamento científico ou comprovado. Por isso, hoje vou listar 5 motivos que vão te mostrar por que a maconha deve ser legalizada

Os países mais desenvolvidos do mundo já legalizaram. Canadá, Estados Unidos, Holanda, Portugal, 
Espanha e até nosso vizinho Uruguai são alguns dos países que já liberaram.

5 Motivos para ser a favor da legalização da maconha

1 - Economia nas contas públicas

O Brasil gasta quase milhões de reais ao ano no combate ao tráfico de drogas. Se a maconha fosse liberada, empresários venderiam a erva, o que faria com que o Estado diminuísse os gastos com a represália ao tráfico.
Consequentemente, o número de processos penais abertos em nome dos usuários de maconha também cairia a quase zero, o que seria mais uma economia nas contas públicas.

2 - Comércio

Com a legalização da maconha, a produção e a venda será feita em lugares salubres – diferente do que acontece nos dias de hoje. Oferecendo uma erva de melhor qualidade para os usuários. O que poderia reduzir drasticamente os efeitos colaterais de quem usa a cannabis sem procedência.

Como prova disso, você pode perceber que todos os tipos de produtos que são comercializados para consumo devem ter um selo de qualidade. Isso acontece até com o cigarro e com o álcool. E com a maconha não seria diferente.

3 - Emprego e renda

Em plena época de crise, essa seria uma saída viável para o desemprego desencadeado pela economia fraca que o Brasil se encontra. Com a legalização, a maconha deixaria de ser coisa de vagabundo e começaria a gerar emprego com a sua produção.

No Colorado, Estados Unidos, por exemplo, desde que começou a ser comercializada, em 2014, houve um aumento de 10 mil empregos ligados diretamente a este negócio.

4 - Cadeias e clínicas vazias

Como os usuários sabem que é muito melhor adquirir a Cannabis Sativa das mãos dos empresários a valores singelos o tráfico entraria em declínio. Consequentemente, haveria uma diminuição de algo em torno de 25% da população carcerária - cerca de 150 mil presos estão atrás das grades por terem cometido tráfico de drogas. O que também poderia entrar como economia nas contas públicas.

5 – A maconha pode salvar vidas

 Um dos maiores debates em relação a liberação da maconha é em relação ao seu uso medicinal. Afinal de contas, como a erva não é liberada, para seu uso terapêutico há uma enorme burocracia. Mas como todo mundo sabe, para tratar de saúde, perda de tempo pode significar morte.
Entre suas várias formas de salvar vidas, a maconha é usada como:
·       
  • Efeito analgésico;
  • ·       Tratar náuseas e vômitos;
  • ·       Ajuda no tratamento do Câncer e da AIDS; e
  • ·       Ajuda no tratamento do Mal de Parkinson.
  • O tema ainda é visto como um tabu pela sociedade brasileira, mas nesta lista é possível perceber que a liberação da maconha é capaz de trazer vários benefícios ainda mais com o seu uso medicinal, que é capaz de salvar vidas.


Saiba mais sobre o assunto nos seguintes sites: http://verdinha.club/  e http://www.boaconha.com/


Sexo oral transmite doença

Mesmo com tanta informação nos dias de hoje, é comum as pessoas ainda acharem que sexo oral sem proteção não é capaz de transmitir doenças. A transmissão de doenças ocorre quando há uma troca de fluídos corporais - como sêmen, sangue e fluídos vaginais - e isso é sim possível durante o sexo oral.

Quando há feridas e machucados na boca, gengiva ou garganta é possível que se passe algum tipo de doença sexualmente transmissível, DST. Estudos apontam ainda que, na verdade, pelo fato das pessoas terem essa falta de preocupação com o sexo oral é que ele se tornou uma prática sexual de grande risco.

O sexo oral é tão perigoso quanto o sexo anal ou vaginal

Na verdade, é difícil precisar se o sexo vaginal ou anal é capaz de trazer mais riscos do que o sexo oral. Normalmente quando a pessoa faz sexo oral sem preservativo, ela também pode ter praticado sexo vaginal ou anal desprotegida. Por isso, não dá pra saber em qual ato ela adquiriu a doença.

Porém, no caso da gonorreia e da sífilis já foi comprovado cientificamente que podem ser passadas por meio das mucosas durante o sexo oral.

Outra dúvida muito comum é em relação a quem corre mais risco: Quem faz ou quem recebe o sexo oral. 

O risco é para as duas partes, mas segundo alguns estudos, as pessoas que praticam o ato são mais propensas a adquirirem algum tipo de doença por estarem em contato direto com o sêmen ou com o fluído vaginal.

Entretanto, isso não exclui o risco daquele que recebe o sexo oral. Se o parceiro estiver com algum machucado na boca, ele poderá transmitir gonorreias ou herpes labial se for portador dos vírus.

Por isso, o recomendado é que ao fazer sexo oral é necessário que use algum tipo de barreira para que não haja o contato direto.

Como fazer sexo oral corretamente

Existem alguma técnicas para evitar que se pegue alguma DST durante o sexo oral. No caso de um homem praticar sexo oral em uma mulher, o recomendado é que ele use um pedaço de plástico filme para cobrir a vagina. 

Se a mulher vai fazer no homem, não tem outra saída melhor do que usar a própria camisinha. Em ambos os casos, vale ressaltar que não deve haver contato direto entre as mucosas.

Outras informações para evitar a transmissão de doenças

  • ·       Evite fazer sexo oral se tiver alguma ferida na boca
  • ·       Evite fazer sexo oral se tiver algum tipo de sangramento na boa
  • ·       Se está fazendo sexo oral sem preservativo em um homem, evite a ejaculação na boca
  • ·       Evite fazer sexo oral em uma mulher durante o período menstrual.

·       
A higiene da área também é importante durante o sexo oral.

O sexo oral deve ser visto como uma prática sadia, e por isso deve ser feito de forma a se evitar a propagação de doenças. Vale lembrar, que estas dicas também servem para os casais. 


Veja outras dicas no casal sem vergonha e no testosterona: http://www.casalsemvergonha.com.br/tags/sexo-oral/ e http://testosterona.me/sexo/